sábado, 28 de novembro de 2009

Fim de Ano Letivo

 Chegou o esperado encerramento do ano letivo!
Foi um ano trabalhoso, com grandes momentos de reflexão, de aprendizagem, de trocas de saberes e de idéias.
Foram 200 dias de crescimento intelectual, pessoal e social, de circularidade de opiniões e momentos de construção de conhecimento.
E, quando chegamos neste final, nos damos conta que, quem mais aprendeu fomos nós, professores.
Sempre temos a enganosa impressão de que “ensinamos” e que, compete ao aluno “aprender”, seguindo a nossa batuta. Ledo engano! A nossa função é ajudar o aluno a construir seu conhecimento, orientando, direcionando e mediando; sendo ponte para que tal conhecimento seja construído com significado.
Na relação professor e aluno há um contrato didático que, espera-se que um invista no ensino e que o outro aprenda. Mas, em muitas situações, este contrato é quebrado, pois quem aprende é o professor... Quem ensina é o aluno com sua fala sincera, seu olhar puro, sua inocência e alegria ao fazer as coisas mais simples...
E, é nesta época do ano, em que estamos mais sensibilizados com as despedidas, com os abraços, com as mensagens de boas festas e felicidades para o novo ano, que atentamos para esta “quebra de contrato”.
É neste período que percebemos que nesta relação perpassam muito mais que conteúdos e objetivos escolares pré-estabelecidos. Perpassam sentimentos e valores, significados e trocas.
Quisera ficarmos com os sentimentos de fim de ano durante todo o ano que se iniciará... Quisera quebrarmos muitos “contratos didáticos”, ouvindo mais, socializando mais, trocando mais e aprendendo mais... Quisera abrirmos mão do monólogo docente que impera em nossas salas de aula e investirmos mais no diálogo sincero e horizontal...
Que os sentimentos de natal e a expectativa de um ano novo maravilhoso estejam presentes em todos os dias, letivos ou não; em todos os espaços, escolares ou não!
Feli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Professor

Professor
Os valores estão deturpados... pais, filhos e professores estão sem saber o que é pertinente a cada um!